quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Reencontros

Li em um livro, certa vez, que quando ficamos muitos anos sem ver determinada pessoa e voltamos a encontrá-la temos um momento incicial de choque em que pensamos que ela mudou em tudo. O mesmo livro afirmava que após esse primeiro momento, tal pessoa voltava ao normal e então percebíamos que na verdade ela não mudara substancialmente. Não sei se concordo totalmente com essa afirmativa tão categórica. Pessoas são diferentes e é, exatamente por isso, que elas encaram a mudança de formas distintas. Entretanto, em um aspecto talvez o livro tenha razão: existe uma essência que permanece. Algo como um resquício de perfume, uma mancha de batom, uma cicatriz que nunca abandona o corpo. Em um segundo, a pessoa está lá, como uma extensão do seu próprio ser, um anexo a suas curvas e no minuto seguinte... assim, como se fosse de repente... ela desaparece. E então, aquela ligação, mais forte que Pontes de Hidrogênio, se dissolve na leveza insustentável do ar! Mas é justamente quando todas as esperanças estão perdidas, quando não se fala mais no passado, quando as fotografias se perderam e as flores dadas murcharam... é nesse momento, que a pessoa decide voltar. E aquele choque inicial cai como uma pancada na cabeça: ele mudou, você mudou, e agora vocês dois compartilham experiências que nunca tiveram juntos. Um passado não comum, lembranças particulares, um conjunto não vivido e uma música nunca tocada. Uma lacuna em uma história, um buraco no meio do papel... Mas a tinta ainda está lá... e você sente como se pudesse apreciar o cheiro fresco... Todavia, ela está manchada. O papel está manchado com o vazio que foram aqueles anos. Ainda existe uma essência... mas ela está obscurecida por todos os momentos que vocês não passaram juntos.

Esse ano reencontrei dois amigos da época do Colégio. Amigos que eu não via há cerca de 3-4 anos. Esses anos pareciam pouco para mim. Eu sempre achei que levava mais anos para alguém mudar tanto. Mas não sei dizer, e isso me fez pensar: será que alguma coisa nesse mundo dura para sempre? Existem tantas pessoas que eu gostaria de reencontrar, mas só de pensar me dá um frio na barriga.

Um comentário:

  1. Ooi, tudo boom?
    Dá uma passadinha lá no meu blog?
    Beijoos!
    www.booksandsoul.blogspot.com

    ResponderExcluir