quarta-feira, 2 de março de 2011

Perseverança

Há exatamente 10 anos, o tenente entrou na sala 504 para fazer um anúncio. Uma propaganda, um aviso. Era sobre a banda do Colégio Militar. As fichas de inscrição já estavam disponíveis e de acordo com ele, elas eram limitadas. Então, você, aluno, que ouvia, tinha que correr. Assim que acabasse a aula, você tinha que correr e pegar a ficha, entregar para o seu pai e fazê-lo assiná-la e então esperar. Uma das coisas que ele disse também naquele dia e repetiu pelos longos, porém breves, seis anos e meio, era que os "fracos desistiriam logo". Antes da escolha do instrumento, o aluno deveria passar 1 ano tocando flauta doce. Sí, Sí, Sí, pausa. Era entediante.Uma angústia. Um suposto desperdício. E às vezes era apenas cansativo. Mas ele já avisara, "os fracos desistiram cedo". Você quer mesmo? Então, persevere.
Alguns anos depois, veio o grupo de jovens do colégio. Embora a descrença com as instituições religiosas, vinha aquela vontade de acreditar em algo, possuir algum conceito de espiritualidade. Os encontros eram maravilhosos. A música, o violão, a cantoria, as danças. Mas então eles diziam "algumas vezes, nossas reuniões serão monótonas e você vai querer desistir". Entretanto, aquela vontade de superação, e até, algumas vezes, de sacrifício. "Perseverança" era a palavra que eles usavam. Você quer mesmo? Então persevere.
Poucas pessoas acreditavam no resultado do vestibular. Seria muito mais fácil aceitar a oferta dos pais e ir para uma faculdade particular. Mas a pública estava ali, a Educação era nosso direito e ela não podia ser paga. Se com 10 anos de idade, ao invés de pensar apenas em jogar videogame ou assistir televisão, ela fizera a prova do Colégio Militar, por que não agora? Você quer mesmo? Então persevere.
O sonho desapareceu perante as cadeiras. Aquilo não era Arte, não como ela pensava que deveria ser. A madeira degradou, aquela imagem de criatividade sumiu. E sobrou apenas a mudança que podia ser. Que talvez fosse. Todavia, novos obstáculos. A desistência de uma vida e a certeza de que assim que acabasse o período de provas, ele iria embora. Mas o futuro não estava no computador ou em desenhar móveis. Ele estava no mundo. Uma decisão precisava ser feita. Você quer mesmo? Então persevere.


Perseverança. Às vezes é tudo que você precisa.
Mas antes de tê-la, é necessário ter vontade.
Os fracos desistem cedo. Aqueles que não conseguem suportar o medo também.

Um comentário:

  1. As vezes desistir da escolha equivocada é a melhor opção não?

    ResponderExcluir